domingo, 2 de novembro de 2008

O Último Imperador


(CLASSIC D'OR ALFREDO KRAUS - ROYAL CONCERTS III - Teatro Real - Madrid 1984
Massenet, Paisiello, Gounod, Donizetti, Rossini, Chopin, Verdi, Barrera y Calleja, Roig e Quintero)

Um Kraus igual a si próprio: eterno, estilisticamente irrepreensível, de uma elegância aristocrática e senhor de uma técnica quase infalível – agudo certeiro e firme, de uma ousadia impressionante.

O problema é o reverso da medalha… a pose, o cabelo armado, a postura rígida, o francês de pacotilha e a vacuidade da interpretação (pela obsessão técnica).

Ainda assim, o crepúsculo só se anuncia pelo semblante carregado.

Neste registo, tudo o mais – além da grande Senhor – é datado e cheira a bafio, a começar pelo horrendo revestimento do palco do Teatro Real.



______
* * * * *

(3,5/5)

20 comentários:

José Quintela Soares disse...

Vale pelo registo para a posteridade.
Apesar de ser um intérprete de excepção, não há muitas gravações video de Kraus, e algumas que existem têm uma qualidade quase deplorável, pelo que se saúda este dvd.
Kraus merecia mais.
E a propósito, será que S.Carlos não terá qualquer registo da Traviata com a Callas?
Tenho a sorte de possuir a gravação áudio, editada pelo teatro há uns anos, sublime, acrescente-se, mas em video?

Anónimo disse...

João, estamos em 1984 e o seu olhar não pode ser de 2008. Eu acho que tem de ser um pouco mais condescendente.
Eu vi o Kraus no des Grieux, Werther, Fausto, Ricardo dos Puritanos, Ernesto e duas vezes no Duque de Mântua e no Edgardo. Sempre sublime.
Um abraço
Raul

Raul disse...

Viva Barack Obama !

Ricardo disse...

Caro Raul,

o papel do I Puritani a que se refere na voz do Kraus será certamento o de Arturo e não de Riccardo (esse é para barítono).

Um abraço

Teresa disse...

O MUNDO HOJE TORNOU-SE UM LUGAR MAIS APETECÍVEL!
OU PELO MENOS OBAMA PERMITE-NOS ESSE SONHO :-)

Anónimo disse...

O MUNDO HOJE TORNOU-SE UM LUGAR MAIS APETECÍVEL!
OU PELO MENOS OBAMA PERMITE-NOS ESSE SONHO :-)

Teresa

Raul disse...

Tem razão Ricardo. Que estupidez! E você foi o "culpado", porque associei o que me disse acerca do nome, passei pelo tenor do Baile e também pela sua voz de tenor. Tudo nesta salada. Claro que é o Arturo.

Ricardo disse...

Raul,
chame-me do quiser, menos de tenor... ;)

Sou barítono...

Anónimo disse...

Alguém vai à Gulbenkian no dia 10?

J. Ildefonso.

Raul disse...

Ricardo,
Onde terei ido buscar que era tenor?
Ainda bem. Vou-lhe pôr por ordem o meu gosto pelas vozes.
Gosto muito mais de voz de mulher do que de homem, é mais artificial, mais ópera e nada me dá maior gosto do que ouvir um soprano dramático, depois um lírico-dramático, um mezzo até esgotar as vozes de mulher. Os homens vem depois e em primeiro um barítono, depois um baixo e finalmente um tenor. Não gosto nada de contratenores.

Daniel disse...

nao poderia estar mais de acordo com o Jose Quintela.Já era tempo de haver uma gravaçao em video. Segundo li uma vez algures, existe uma versao audio com maior qualidade do que aquela que circula comercialmente mas como nao tenho a certeza nao vou afirmar nada. DO Kraus apenas o ouvi na Traviata e n'Os pescadores de perolas.

Ildefonso disse...

Excelente recital do baixo7baritono Ildar Abdrazakov de canções de Rackmaninov, Mussorgsky e Tchaicovsky. Infelizmente a sala estava praticamente vazia.... o público lisboeta só se mobiliza para ver cantoras com vestidos de alta-costura!

J. Ildefonso.

José Quintela Soares disse...

Foi, na verdade, um excelente recital, perante um auditório "às moscas"...
Mas os que lá estavam souberam apreciar.
Pena só um "encore".
Excelente cantor mas pouco ou nada simpático.

Será a crise que também chegou à FCG? Oxalá esteja enganado.

Anónimo disse...

Realmente não foi dos mais simpáticos.... estaria aborrecido por a sala estar quase vazia? É provavel!

J. Ildefonso.

raul disse...

O João Ildefonso acha que um reportório de canção russa, por um baixo, que afinal é excelente, mas que não é famoso, é suficiente para encher uma sala de concertos fora do mundo eslavo?

Anónimo disse...

Acho. Sem dúvida nehuma.
O reportório de canção russa é muitissimo interessante e o programa em questão inclui muitas canções que são obras primas absolutas mesmo num contexto global.
As boas vozes de baixo, ou baixo-baritono, são raras, o interprete é jovem, canta o seu reporotio de eleição sendo russo e se não é globalmente famoso é já mais do que uma promessa tendo cantado no Scalla, Met, etc.
Tudo somado pareçe-me que deveria despertar a curiosidade dum público culto, atento e criterioso.... por isso o resultado final é o esperado e coerente com a nossa realidade nacional!

P.S.- Um grande abraço, não o escurava há já muito tempo!

J. Ildefonso.

raul disse...

Como é que me pode escutar se este blogue gosta tanto do Kraus que nos "obriga" a ver a sua imagem sempre que o abrimos.

José Quintela Soares disse...

Abdrazakov estará no festival de Salzburgo em 2009 com "Moise et Pharaoh" de Rossini.

Quando voltar a Portugal, o auditório da Gulbenkian estará mais composto, mesmo cantando canções eslavas...

Anónimo disse...

O "escutar" é figura de estilo:-)))

Anónimo disse...

Não penso que o auditório da Gulbenkien possa estar mais composto, pois quem anda em cima do assunto, programa do Festival de Salzburgo, é aquele que já vai ver um programa de canções eslavas.