domingo, 20 de janeiro de 2008

LOVE AFFAIR, take 6 ossia A leitura d'A ÓPERA

Dando continuidade ao que aqui se iniciara...

Justiça, Senhores!
Sutherland é uma grande, grande Donna Anna!


Na leveza e categoria das vocalizações (
Non mi dir), é divina! No teatro, nem tanto...

By the time, as consoante ainda figuravam no seu repertório. Mais tarde, sucedeu o que todos sabemos: passou a dispor, apenas e só, de vogais...

No confronto com Grümmer, obviamente Sutherland perde em tudo, excepto na ornamentação, sem o mais discreto sinal de esforço ou fadiga.


Joan Sutherland, sendo inultrapassável na pirotecnia vocal, vai muito além do trabalho dos sopranos ligeiros – dota a sua personagem de alma -, embora não triunfe pela via da expressão... Sutherland sempre foi mais cantora do que intérprete, mas Giulini, no caso desta leitura, animou-lhe a criação cénica!



(Joan Sutherland)

1 comentário:

Raul disse...

A Sutherland é mais do que um soprano ligeiro e uma excelente Dona Anna. Li algures que a Schwarzkopf considerava a interpretação da sua colega um pouco "girllich".
Sim, a interpretação da grande Grummer é superior, mas para mim tem apenas um pequeno problema: aqui e acolá o seu italiano é de alemã. Para mim perfeitas Donna Anna são Sena Jurinac, Ljube Welitch e Leontyne Price, melhores do que a Sutherland, principalmente a primeira e a segunda, na minha modesta opinião, as melhores da discografia que conheço.