terça-feira, 23 de outubro de 2007

Bela por fora…

...medíocre por dentro.

Não é um lugar-comum! É a triste realidade que este registo espelha, a cargo de Danielle de Niese, interpretando árias de ópera e oratório de Handel.

É bem verdade que, segundo a imprensa especializada, De Niese deu alma a uma Cleópatra memorável, em Glyndebourne.

Pois bem, em estilo curto e grosso, aqui vão as minhas considerações sobre o dispensável e medíocre registo.

Sem a mínima disciplina barroca, entre a estridência e a berraria indisfarçável, Danielle expõe um vibrato descontrolado, a par de um timbre grosseiro. Os agudos são esforçados, feios e sem o menor laivo de luminosidade. As mudanças de registo revelam uma inconcebível falta de homogeneidade, etc. etc.

Fora do registo de bravura, com boa vontade, ainda se tolera a linha mais lírica...

Ora, se a técnica não é o que deveria ser, a interpretação é digna de uma actriz esforçada, mas menor!

Inadmissível em palcos dignos, a artista tenta o registo discográfico, movida pela ganância da major DECCA (e pelo seu deslumbramento!), roçando o ultraje!

Choro os meus quase €20 até à exaustão...


(DECCA 475 8746)

5 comentários:

Heitor disse...

Estimado João,

Assumindo que a capa + caixa valem €1, sugiro que se livre apenas do disco. Reduz assim o prejuízo para apenas €19...

Saudações,

Heitor

Il Dissoluto Punito disse...

Heitor,

Ah, ah, ah!!!
Boa ideia! Preservar o que interessa e deitar fora o lixo ;-)))

Heitor disse...

Manter a caixa não será problema, mas estou curioso para saber que razão vai o nosso amigo apresentar à família para manter a capa...

Cumprimentos,

Heitor

Anónimo disse...

Estou farto de c.d.'s que mais pareçem a capa da Vogue!

J. Ildefonso.

Anónimo disse...

Ao menos o João não está sózinho! Eu também ainda lamento os 17Euros que paguei pelo c.d. da Bartoli.
O João que é informado já agora o que diz a critica internacional?

J. Ildefonso.