quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

Wozzeck: forma vs conteúdo

Estúpida que é a clivagem forma vs conteúdo, retomo-a, na lírica (à semelhança do que ontem fiz), desta feita a propósito de Wozzeck, magistral criação de Berg, em cena em Barcelona e no Met.

Quanto à (desejada) forma... afirma Calixto Bieito, a propósito da sua nova produção de Wozzeck, a estrear amanhã, dia 30, no Liceu:


(nova produção de ópera de Berg, com a assinatura de Bieito, a estrear no Liceo)

"Una lectura poscapitalista de un mundo contaminado mental y físicamente, que se traduce en una escenografía, de Alfons Flores, que reproduce las tripas de una refinería de petróleo habitada por seres alienados, explotados y contaminados; un laberinto industrial metáfora de un gran estómago abierto a la mirada del público" (in El Pais, 29/12/2005).

No tocante ao (aspirado) conteúdo... da prestação de Levine, na direcção musical da citada ópera, em cena no Met, diz o New York Times, na edição de hoje:


(Alan Held e Katarina Dalayman em Wozzeck, em cena no Met)

"Mr. Levine's achievement in "Wozzeck" comes from his ability to fuse its musical and dramatic elements. (...) he drew an electrifying performance from the Met orchestra, revealing this pungent score to be deeply emotional and excruciatingly beautiful."

Da forma (encenação, leia-se), nem uma palavra!

Regresse-se a Barcelona, pois!

Eis porque insisto na (absurda) clivagem!!!

4 comentários:

Helena disse...

Muito apolíneo, o novo template - a forma ;).

Mas, vejo que Dyonisius se continua a manifestar, subrepticiamente, no conteúdo.

Il Dissoluto Punito disse...

Q tal lhe parece a nova vestimenta deste espaço?

Helena disse...

Esta nova roupagem proporciona uma mais fácil e rápida leitura, factor muito importante para os leitores habituais. O outro template era mais wagneriano ;)

Il Dissoluto Punito disse...

Ainda bem que assim é, caríssima! Foi nesse pressuposto que mudei de template!