segunda-feira, 28 de novembro de 2005

Kózena e Daniels, ontem na Gulbenkian - crónica solta...

Ela foi insidiosa... Entrou de mansinho, a voz foi-se abrindo, aos poucos, qual flor graciosa. Por fim, dela, brotava uma luminosidade incandescente, estonteante! De um lirismo inconcebível...

Ele entrou algo parco e contido, prudente até à exaustão. O volte-face veio na segunda parte. Triunfou na bravura; arrebatou pelo folgo desmesurado. Transcendeu-se...

Aos poucos, isolados, materializaram momentos de milagre.

Por fim, nos encores, excederam-se na expressão, na disciplina e na técnica.
Terminaram onde haviam de ter começado!

Longe de um concerto de antologia, ambos foram brilhando...

9 comentários:

MyHiraeth disse...

Punitissimo! Fico feliz de saber que gostaste, tenho muita pena, mas não pude ir... mas disse-me ontem um elfo dos bosques musicais que foi muito, muito bom...

HVA disse...

Caro JGA,

A Kózena, em condições normais, exaltaria o meu verbo. Acontece que, estando de momento nos Países Baixos, os meus (poucos) miolos congelaram... Nem a Madalena me vale!

Saudações tremidas,

HVA

Jacques disse...

Comentário?

Esse seu comentário merece, isso sim, um aplauso!

Jacques

Anónimo disse...

iii

LeGrandMacabre disse...

Caro João:

O teu comentário deixou-me ainda mais desconsolado por não ter podido ir ao concerto. Admirador confesso de ambos (sobretudo de Daniels, do qual tenho praticamente toda a discografia) e do repertório operático Handeliano, quebra-se o meu espírito por não ter presenciado os momentos de iluminação e transcendência. Da última vez que o DD esteve cá disse-lhe que iria a Amsterdão ouvir uma récita do Giulio Cesare, quem sabe se não poderemos ir com a fada?

Um abraço

Macabre

Il Dissoluto Punito disse...

Oh Jacques,

Fico sem palavras diante de tão simpático compliment...

Il Dissoluto Punito disse...

MyHiraeth, HVA e Macabre,

Diz o povo que há mais marés do que marinheiros :-)
Ocasiões de rever a dupla não hão-de faltar!

João

MyHiraeth disse...

Pois veremos o que nos trazem as próximas marés... Quem sabe o nosso querido Mr. Terfel decida dar cá um saltinho para uns recitais - adorava ouvi-lo com o Martineau...

Il Dissoluto Punito disse...

Aiiiiii Fada! Nem me digas nada! Terfel em Lisboa seria como instalar um mega-manicómio, no melhor dos sentidos!!!