segunda-feira, 16 de maio de 2005

Parabéns !

A GRANDE Senhora que hoje aqui me traz é de um ecletismo notável !

Nos anos 60, destacou-se como interprete de papeis bel-cantistas (Elvira e Maria); seguiram-se Susana, Nanetta e Mimi. Aliás, a interpretação desta personagem pucciniana valeu-lhe um lugar na história e inúmeras presenças discográficas...

Uma década mais tarde, pela mão de Von Karajan, abordou o repertório verdiano mais maduro - Aïda e Desdemona - enquanto, incitada pelo mesmo maestro, deslumbrava o mundo como intérprete inolvidável de Micaëla.

Há cerca de quinze anos, apenas em estúdio, foi Floria Tosca e Cio-Cio San, por duas vezes !

A circunstância de ter casado, em segundas núpcias, com um tremendo interprete búlgaro, particularmente apreciado no repertório russo, poderá ter estado na origem do seu interesse mais recente por este mesmo território interpretativo.

A maior companhia de ópera do mundo, por ocasião do seu 70º aniversário, preparou-lhe uma merecida homenagem... a kind of farewell concert !

Pelo caminho, ficaram alguns percalços, como a famigerada La Traviata, que os milaneses patearam sem piedade ! Nem tudo foram rosas...

Não sendo um seu admirador confesso, nutro por esta interprete um particular interesse, sobretudo pela inteligência da sua carreira, bem patente na sua longevidade vocal !
Um fenómeno, apenas comparável às igualmente longas e gloriosas carreiras de Magda Olivero e Leonie Rysanek.

De quem estarei a falar ?

4 comentários:

Rui Pena Borges disse...

Já há dois meses que veio no Mil Folhas uma entrevista do Seabra à Mirella Freni.

Il Dissoluto Punito disse...

Et voilà !! Não era difícil..

Anónimo disse...

Ela foi Elvira ? !
Raul

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Sim! Elvira de I Puritani, sob a direcção do Muti!