sábado, 23 de agosto de 2008

Beethoven vs Gould



Nunca gostei das leituras beethovenianas e / ou mozarteanas de Glenn Gould.
Já em Bach… Gould delicia-me!

Neste dispensável registo, o eminente e mítico pianista canadiano oferece-nos uma interpretação insuportavelmente impregnada do seu histrionismo – com sussurros e murmúrios amiúde -, com uma impressionante falta de leveza, poesia e suavidade.

Este O Imperador é eminentemente técnico e martelado.

Dito, isto, resta-me regressar ao meu O Imperador de referência, produto de uma síntese majestosa: Brendel & Rattle.

9 comentários:

Anónimo disse...

A minha ordem de gostos nos concertos de piano de Beethoven:
1. No.3
2. No.4
3. No.5
4. No.1
5. No.2

Intérprete preferido: Wilhem Kempff
Orq. Fil. Berlim, Ferdinad Leitner

Atenção a um excepcional intérprete actual : Paul Lewis
Ouvi hoje a Sonata no. 32 para Piano e é "um admirável mundo novo".
RAUL

Fernando Vasconcelos disse...

Concordo em absoluto com a escolha Brendel e Rattle para este concerto.

Anónimo disse...

Carissimo

Tens toda a razão o Gould no Beethoven é insoportável. Pior ainda do que no Mozart onde pareçe uma caixinha de música avariada!

J. Ildefonso.

teresa disse...

Vi recentemente o DVD de Glenn Gould interpretando as Goldberg Variations de Bach (penso que na St Thomas Church) de uma beleza extraordinária!!

Também gosto da versão Keith Jarrett.

Teresa

Anónimo disse...

As Variações Goldberg de Bach pelo Glenn Gould li alguras que está entre as maiores gravações de sempre.
Teresa, experimente ouvir as Sonatas de Piano, também de Bach, pela Angela Hewitt.
Raul

Anónimo disse...

Teresa,
Desculpe, mas enganei-me. São as seis Partitas para piano pela Angela Hewitt.
Raul

Hugo Santos disse...

No concerto Imperador a minha gravação é Fleisher/Szell.

Anónimo disse...

Eu, o Imperador, além do Kempff, tenho pela dupla Fischer / Furtwangler. Eu tenho tudos aos efes :)
Raul

Cato the Elder disse...

Plenamente de acordo. Gould é o meu favorito pianista, mas eu acho que nós não compreendemos Beethoven, não é perto da profundidade emocional que isso exige.
Quando se trata de interpretação de Beethoven, eu vou ficar com Wilhelm Kempff.

(O comentário foi traduzido do castelhano para o tradutor do Google. Desculpem a cometer erros)