domingo, 20 de julho de 2008

Cenas da Vida Conjugal



A criança faz uma longa sesta – abençoada... criança e sesta - e a mulher passa pelas brasas. Eu, tranquilamente, ponho a correspondência em dia e escuto Peyroux, enquanto navego pela virtualidade.

Pausa.

Retomo o visionamento de Cenas da Vida Conjugal, que iniciara ontem.
Deleito-me com este meu novo amor, capaz de me surpreender a cada instante.
Não virei gay, mas o que Bergman que faz sentir é, em absoluto, paixão!

15 comentários:

Teresa disse...

Essa do "não virei gay" tem piada :-)
Estás então deliciosamente assustado com a paixão pelo realizador?

Sossega, que é mais uma paixão pelo que cada filme tem de humano, uma paixão pela humanidade inteira, de que o realizador se faz porta-voz!

Esse filme é extraorinário, de tão lúcido e profundo.
Quando vi o Saraband, fui revê-lo para me reeencontrar com o fio da meada.
Sei que há uma versão mais longa para Televisão, realizada em 1972. São seis episódios de cinquenta minutos cada...curiosamente o tempo de uma sessão de análise ;-) A arte de fazer como a avestruz; Paula; O Vale de lágrimas; Os analfabetos; e No meio da noite numa casa às escuras algures no mundo.

Gostaria muito de ter essas "cinco sessões" em casa. sabes onde poderei encontrá-las?

Teresa

Il Dissoluto Punito disse...

Teresa,

Na FNAC Chiado poderás encontrar a dita versão para consumo caseiro. Creio que a coisa ronda os €60... Estive a namorá-la ontem, tendo optado pelo que viste: Funny & Alexander e (mais uma interpretação de) Tristan und Isolde.

Il Dissoluto Punito disse...

Teresa (II),

Sublinho: a paixão é pelo Homem (realizador, claro!)

Teresa disse...

Pronto,pronto, a paixão é pelo Homem... e depois? Estava só a tentar sossegar-te, mas vejo que não precisas.
O Homem bem merece que todos e todas nos apaixonemos por ele e,já agora, pela
Liv Ullmann.

PS 1- garanto-te que "não virei lésbica, mas o que ela me faz sentir é, em absoluto, paixão" ;-)

PS 2- Muito Obrigada pela informação.Logo que possa irei à FNAC :)

Teresa

Il Dissoluto Punito disse...

Teresa,

A Liv Ullmann... ossia a (re)encarnação de Afrodite, Venus... Que paixão!

Anónimo disse...

A minha coleção Bergman resume-se ao seguinte:
Sommaren met Monika ( Monika e o Desejo ), 1953 ( ** )
Sommarnattens leende (Sorrisos de uma Noite de Verão), 1955 ( *** )
Det Sjunde Inseglet ( O Sétimo Selo ), 1957 ( **** )
Smultronstallet ( Morangos Silvestres ), 1957 ( ***** )
Djavolens oga ( The Devil’s Eye ), 1960 ( *** )
Cries and Whispers ( Lágrimas e Suspiros ), 1972 ( **** )
Hostsonaten ( Sonata de Outono ), 1978 ( **** )
Fanny och Alexander ( Fanny e Alexandre ), 1982 ( ***** )

Raul

Anónimo disse...

Pela listagem (vê-os no original?) e pelas estrelas, depreendo que aprecie o realizador. Alguma razão pela qual as cenas da vida conjugal e o Saraband não constem da colecção, Raul?

Teresa

Anónimo disse...

Tenho uma lista de todos os meus dvds, dividida por países e divirto-me muito classificando-os. Não, não sei sueco, mas gosto de apresentar o filme "como deve ser", embora às vezes não seja muito rigoroso. SEndo assim, só o Fanny e Alexandre e os Morangos Silvestres são edições portuguesas e, consequentemente, com legendas em português. A sonata de Outono foi comprada em Madrid e o resto foi muito mais barato, porque comprei onde vivo, na China, e as legendas têm a opção do inglês.
Quanto ao Saraband, que adorei, e às Cenas da Vida Conjugal, que nunca vi, não os tenho porque nunca estiveram à minha mão para os comprar. Tenho mais dois filmes suecos não Bergman, ambos bons, especialmente um, "Pelle, o Conquistador" com o grande Max von Sidom (?), que fabuloso.
RAUL

Anónimo disse...

Bom dia Raul,

Não vi o filme "Pelle, o Conquistador" de que já ouvi contudo falar muito, baseado no grande romance "Infância" (1905) de Martin Anderson Nexo :-)

Esta sua nota vai-me levar a procurá-lo. Já tenho um cestinho cheio de procuras na FNAC!

É realmente extraordinária esta possibilidade de comunicação à distância. China!!
Que tempo fará por aí agora? por cá está um sol criador, radioso e tudo muito azul.

Teresa

Anónimo disse...

Bom dia Teresa,
A China é imensa pelo que só falarei do tempo daquela onde vivo: Pequim.
Está um calor dos diabos e os dias são muitas vezes claros. Depois de umas chuvas fortes e pouco habituais veio este calor, que é normal nesta época. É bom que se conserve para que os chineses gozem os Jogos Olímpicos tal é a febre que os tomou. E é tal que na próxima segunda-feira
vou "fugir" para Macau, onde passarei o mês de Agosto.
Pelle, o Conquistador é um grande filme e, se não estou em erro, ganhou em 1989 o óscar para a melhor película estrangeira.
Raul

Anónimo disse...

Olá Raul, Boa noite (tardíssimo, aí !).

Nesta comunicação que curto-circuita (será assim que se diz/escreve?)a distância,perde-se a noção da diferença horária... quando de manhãzinha lhe desejei os bons dias, seria na verdade um "boas tardes".

Procurarei encontrar por aqui Pelle, o Conquistador. Estou muito curiosa a respeito do filme.

Por aqui esteve um dia de Verão, temperatura quente mas não demasiado, alguns farrapinhos de nuvens a compor o azul. O Guincho, um dos meus locais de eleição, estava, hoje, uma maravilha!

Pois, é verdade, os Jogos Olímpicos.
Habituei-me nos últimos tempos a associá-los ao Tibete (concentrações, palavras de ordem, vigílias...) o que é, sem dúvida, injusto, face ao entusiasmo do povo chinês...

Teresa

Anónimo disse...

Falar do Guincho a um lisboeta que vive a 200 quilómetros do mar é a Suprema Tortura.:)
RAUL

Anónimo disse...

Desculpe, Raul :-( não era de todo a intenção!
Deixe lá, por aqui há Guincho, por aí "pato à Pequim" no original ;-)

Acabo de ler no expresso on-line notícia sobre o "twisted doughnut", com video do youtube...o que pensa um lisboeta em Pequim desta "obra"?

http://clix.expresso.pt/gen.pl
p=stories&op=view&fokey=ex.stories/373996

PS- Pergunto-me se não estarei a abusar do espaço/blog do João pois claramente nem Guincho, nem pato à Pequim, nem donuts invertidos fazem parte dos interesses explicitos do nosso anfitrião...

Teresa

Anónimo disse...

Também acho. O melhor é escrever-me para o mail, quando a conversa escorregar para fora dos horizontes deste blogue. Para saber o meu mail, a Teresa escreva, se faz favor, para o mail do il dissoluto punito e peça-lho, porque eu conheço o João.
Raul

Anónimo disse...

OK.Idem.
Pode pedir ao João meu mail.

Teresa