sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Kozená vs Bartoli

E se duvidas houvesse...
vs

Um leitor anónimo, gentilmente, enviou-nos um link de um colega da blogosfera (Parsifal).

Este colega propõe um desafio aos leitores: eleger A Angelina da actualidade, com base em dois excertos do Rondo Finale de La Cenerentola.

Kozená interpretou o papel titular da ópera no Covent Garden, a 20 de Dezembro; Bartoli fê-lo, no dia seguinte, no Barbican.

A questão é, tão somente, escolher entre as duas, a partir da audição dos excertos (tarefa nem sempre fácil, sobretudo para quem – como eu – tem um MAC)

Para mim, a escolha está feita, não levantando a mais pequena dúvida!

Compare-se a cor, a flexibilidade da ornamentação, a graciosidade da Bartoli com o lirismo monolítico da Kozená.

O problema é apenas um, como disse: um erro de casting!

7 comentários:

Paulo disse...

João. Também já lá fui. Perfeitamente de acordo. A Bartoli ganha.

Moura Aveirense disse...

Adoro a Kozena... mas neste repertório, mais 1 voto para a Bartoli :)

Umas boas entradas em 2008,

Moura Aveirense

Leporello disse...

Bolas isso e ainda mais dificil do que dizer qual delas é mais bonita.

Olhe, sei lá, entre uma e outra, venha um anjo e escolha.

Fernando Vasconcelos disse...

Pois estive a ouvir e embora não seja a minha especialidade gosto muito mais da voz da Bartoli nesta aria. Não sei ao certo porquê mas suponho que tem a ver com o timbre da voz? Parece-me que a Bartoli tem mais "corpo". Peço perdão se estiver a dizer alguma asneira mas a Kozena parece-me um bocadito "anoréctica" passe a expressão.

Raul disse...

É com imensa pena minha que não comento, pois com a internet tão lente deste país, é impossível ouvir o que quer que seja!

Il Dissoluto Punito disse...

Parece que a Bartoli leva a melhor!!!

Raul disse...

Finalmente ouvi.
A Kozena canta mais indiferentemente e usa uma passagem que tem a versão da Victoria de los Angeles na mente.
A Bartoli, muito mais rossiniana, brinca cantando, mais corpo, supera a Kozena. No entanto, nem todos os sons são belos.
A minha palma vai para Joyce di Donato por o seu Rossini não ser em nada inferior ao da Bartoli, sendo a sua ornamentação muito mais bela do que a das suas competidoras.