quarta-feira, 4 de outubro de 2006

Heppner, Wagner & Mozart

Quem disse que um grande tenor wagneriano não pode ser um grande tenor mozartiano?

Embora num papel mozartiano algo singular - muito longe do lirismo puro da trilogia -, que demanda bravura e heroicidade (um pouco no domínio dramático), o papel titular de Idomeneo foi defendido com nobreza e brilho por Ben Heppner, no Met.

Nada que me surpreenda!

2 comentários:

Jacques disse...

Olá, caro João!

Eu que o diga...
Desta vez eu estive presente nesta récita.
Uma récita memorável. Além de tudo foi a "rentrée" de Levine que esteve afastado por meses deviso a uma lesão na perna.
Todo o "cast" esteve impecável com destaque a Heppner em noite inesquecível.
Ao que lí, dia 9 de Dezembro próximo, Idomeneo será levada ao ar, ao vivo, imperdivel!

Abraços,
do
Jacques

Il Dissoluto Punito disse...

Viva Jacques!

Bons olhos o vejam por aqui!
Quanta inveja a minha pela sua viagem a NY... Anihow, lá estarei em Fevereiro próximo!

Tem razão, o Heppner é notável!

Um abraço,
João