segunda-feira, 31 de julho de 2006

La Dessay, na Gala de J. Volpe

Ao vivo, a cores, graças ao engenho de AN UNAMPLIFIED VOICE.
Soberana...
Merci bien, ma Chère Nathalie! Ou deverei dizer Thanks ao colega blogger?

6 comentários:

anc disse...

Obrigado também a si por ter editado (é assim que se diz? ou publicado?)o vídeo da N. Dessay. Que prazer ouvir, a voz, a interpretação, a técnica. Obrigado mais uma vez.
ANC

Il Dissoluto Punito disse...

ANC,

Não tem que agradecer!
Já agora... Não quer revelar mais um pouco da sua identidade???

Anónimo disse...

Para os admiradores da Dessay é absolutamente obigatório visualisar o DVD da sua interpretação do Hamlet de Ambroise Thomas no Covent Garden. Depois da Cena da Loucura, interpretada vocal e cenicamente acima de padrões normais, o um pouco reservado Covent Garden vem abaixo em aplausos.
Raul

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Se bem me recordo, o Hamlet é o Keenlyside?! Não? E que tal?

Anónimo disse...

João,
É sim, senhor.
Vai optimamente, assim como o mezzo que faz a raínha. O problema é que o barítono não tem uma ária digna de um personagem principal (assim como o Don Giovanni, pois que a ária do champanhe cheira a pouco) e, como disse, a Dessay tem uma interprertação vocal e tecnicamente fora dos padrões normais.
A ópera é assim-assim, mas com esta interpretação ela sobe muitos pontos. O problema da ópera, penso eu, é porque é muito escrava do texto de Shakespeare e nisto Verdi tinha razão, pois queria pôr o Hamlet em ópera e achou impossível.
Eu vou arranjar este dvd para o João.
Raul

Anónimo disse...

Por incrível que seja só hoje é que ouvi. Trata-se de um trecho de que gosto bastante e que tenho pela Patti(só a ária) (1906), Tetrazzini (1910), Galli-Curci (1917), Mado Robin, Callas, Freni (só a ária), Sutherland e Battle.
Gosto particularmente do recitativo que aqui a Dessay não canta. A interpretação desta cantora ? No comments. Excepcional.
Raul