sexta-feira, 31 de março de 2006

Adriana Mater, estreia na Bastilha

KAIJA SAARIAHO, compositora finlandesa, estreia em Paris a sua última composição lírica, Adriana Mater.



Depois do sucesso de L´Amour de Loin, eis outro fruto de uma confluência de génios: Sellars encena, Malouf escreve e Saariaho compõe...

(Patricia Bardon e Stephen Milling, em Adriana Mater)

Diz-nos a compositora, a propósito da temática da obra, tratar-se de um cruzamento entre a maternidade e a violência humana.
Questiono-me sobre a síntese de tal cruzamento...

Na lírica, temos exemplos eloquentes da maternidade violenta, destrutiva e mortifera - Norma e Medea, nomeadamente -, que nos mostram que Luz e Trevas podem ser duas faces de uma mesma moeda.

4 comentários:

K.B. disse...

Parece ser interessante :)

Il Dissoluto Punito disse...

Helena,

Lá isso é... Mas a paternidade tem dado cabo da minha resistência física, pelo que uma dissertração mais à séra sobre o tema ficará para quando (re)começarem as noites melhores :-)))

Helena disse...

Imagino ... a minha segunda filha também dormia pouco devido às cólicas. Felizmente, a partir dos dois anos de idade mudou completamente o seu regime de sono. Até hoje adormece e acorda na paz dos anjos :)

Il Dissoluto Punito disse...

Helena,

Whattttttttttttt? Não me diga que vou ter de aguardar pelos dois anos de idade do meu filho :-(((