quinta-feira, 16 de fevereiro de 2006

A ver (ou, melhor dito, a escutar, ou ainda, DISSE-ME UM PASSARIHO...)



Para os mais interessados, aqui vai a respectiva track list:

1. Puccini: Tosca - Recondita armonia
2. Puccini: Manon Lescaut - Donna che vidi mai
3. Offenbach: Les Contes d'Hoffmann - Il etait une fois a la cour d'Eisenach
4. Offenbach: Les Contes d'Hoffmann - Allons! Courage et confiance...C'est elle...
5. Verdi: Un Ballo in maschera - Ma se m'e forsa perderti
6. Flotow: Martha - Ach so fromm
7. Flotow: Alessandro Stradella - Jungfrau Maria
8. Tchaikovsky: Eugen Onegin - Kuda...Kuda
9. R. Strauss: Der Rosenkavalier - Di rigori armato il seno
10. Donizetti: Don Pasquale - Com'e gentil
11. Donizetti: La Favorita - Spirto gentil
12. Bizet: Carmen - La fleur que tu m'avais jetee
13. Bizet: Les Pecheurs de perles - A cette voix quel trouble...Je crois entendre encore
14. Cilea: Adriana Lecouvreur - La dolcissima effigie
15. Mascagni: Cavalleria Rusticana - Mamma, quel vino
16. Giordano: Fedora - Amor ti vieta
17. Verdi: Ernani - Odi il voto...sprezzo la vita

Muito ao meu jeito, espero que, neste registo, a qualidade vocal e interpretativa de Rolando nada tenha que ver com o refinado mau gosto da indumentária... É que, em Outubro último, assisti a uma récita de I Lombardi (Verdi), no Teatro Comunal de Florença, com (o igualmente latino-americano) Ramon Vargas, vestidinho de branco reluzente... parecia um anjinho papudo... Fez-me lembrar o Roberto Carlos (ou o também Roberto, mas Leal :-))))

Metafisicamente, questiono-me sobre a estética latino-americana...

Parece-me uma boa questão para o fim-de-semana, durante o qual frequentarei um seminário consagrado ao Narcisismo e Identidade, em Sintra, sob a orientação de um dos meus mestres - porventura o maior -, Carlos Amaral Dias, de sua graça.

20 comentários:

Anónimo disse...

Puro diletantismo:
De * a ***** :
1****
2*
3**
4*
5***
6*
7?
8*****
9****
10***
11**
12***
13***
14***
15***
16**
17*

Falo das músicas, pois o interptrte ainda não o ouvi, mas já antevejo *****

Raul

HVA disse...

Eh, a roupa do homem é, no mínimo, de gosto discutível. Por acaso não teve a oportunidade de lhe ver as botas?!...

Saudações musicais,

HVA

K.B. disse...

Ainda me estou a rir :) :) :).
Fico à espera de uns posts sobre Narcisismo ...

Il Dissoluto Punito disse...

E que tal conversarmos sobre o assunto, ao vivo? Quiça, quando passar por Lisboa? Tanta realidade virtual, é demais!!!

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Pois não sei, pois não sei... Ver-se-á!

Anónimo disse...

Caro João.
Esta Track List faz-me lembrar alguém faminto sentado à mesa dum banquete sem saber por onde começar....
Já ouvi o Villazon e diria que ele é um tenor lírico, com boa técnica, se bem que susceptivel de aperfeiçoamento, de bonita e delicada voz dum timbre escuro muito apelativo. Analisando a track List é dificil defini-lo pois há de tudo um pouco! Não percebo o que é que a voz que eu ouvi tem a ver com Puccini, Mascagni e Giordano. É um cantor prometedor mas governado por um gosto e ambição que "de tanto querer fazer" cai no ridiculo. Noutras circunstâncias, sem a atenção constante dos "media", sem a estupida propaganda da editora, sem a a agenda de actuações que cultiva.... poderia ser um muitissimo bom. A continuar assim creio que se ficará pelas promessas:-))))... Como tantos outros1
Um abraço.

J. Ildefonso

Anónimo disse...

...... Quanto á indumentária mão vou sequer comentar......

Anónimo disse...

João,
Para mim é só o texto das 19:11, não é ?
Raul

Anónimo disse...

Caro J. Ildefonso,
É apenas um disco de árias para tenor e não são assim tão díspares que um espectacular tenor verdiano, que eu vi duas vezes e que me deixou siderado, não possa cantar !
Concordo consigo que as editoras fazem sempre o trabalho "sujo" do "markting", mas passêmo-lo ao lado que não e para nós, melómanos avisados. Expurguemos o que interessa, que é o que nos interessa. A "verdade" da voz é a que vale e no toca a mim o Villazon vai ser, se já não é, o melhor tenor de reportório italiano pós-Rossini do "firmamento" lírico.
Desculpe o parcial desacordo.
Raul

Anónimo disse...

Sim a roupinha é de gosto duvidoso. Enfim, não se pode ter tudo e a Virgin Records só e preocupa com a roupa do patrão. Outra coisa, segundo li, o homem também é caricaturista (como o Caruso), o que agora é uma profissão de alto risco.
Raul

K.B. disse...

Pois é temos que iniciar uma tertúlia narcísica :)

Il Dissoluto Punito disse...

Caro HVA,

Os sapatos - intuo - serão de um gosto duvidoso, seguramente...
;-)))

Cumprimentos

Il Dissoluto Punito disse...

João,

Concordo contigo! Pelo andar da carruagem, vai acontecer-lhe o mesmo que a criaturas como a Gheorghiu...

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Sim, sim. O das 19:11 é seu (apenas, à data)

Anónimo disse...

Caro Raúl.

Eu gosto do Villazon mas realmente não sei porque é que não se dedica a uma dieta de Gounod, Massenet e light Verdi. E porque não algum Donizetti? Tem bastante tempo para cantar e gravar arias de verismo, Puccini e Verdi mais pesado. Eu sou muito paternal:-))) È a ambição desmedida de um adolescente que me preocupa! E já agora se cenicamente elimina-se alguns tiques.... No d.v.d. do "D. Carlos" dá uma intrepertação vocal interessante mas cenicamente pareçe o "palhaço pobre" dos circos da minha infância. As sobrancelhas permanentemente arqueadas, os cantos da boca retorcidos, o olhar maniaco.....

J. Ildefonso.

Anónimo disse...

Caro J. Ildefonso,
Eu vi-o ao vivo no Don Carlo no Verão de 2004 em Amesterdão e não fiquei com essa imagem que, ao que parece o respectivo Dvd transmite. O seu comportamento neurótico não me pareceu apalhaçado e o mais importante, para mim, numa representação é a voz, que era divina, e o cénico-vocal, que era perfeito. Lembrava-me o Bergonzi na gravação que eu possuí primeiro em vinil e depois em Cd. E, meu Deus, os cantores vêm-se às vezes imersos em cada ensenação, como era aquela, que não era das piores, toda passada entre túmulos no Escorial !
Raul

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Caricaturista? You mean... o Villanzón???

Il Dissoluto Punito disse...

Helena,

Proponho uma tertúlia OBJECTAL! Quando passar por Lx, apite ;-)))

João

Anónimo disse...

Sim, o Villanzón é caricaturista, de acordo com a Gramophone, de que é capa de revista este mês.
Raul

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Enfim, dada a euforia do intérprete, inscrita num quadro absolutamente hipomaníaco, essa de ser caricaturista, não me surpreende ;-)))