sábado, 25 de fevereiro de 2006

Off Opera

O L´Express propõe um estudo comparativo de seis diferentes interpretações contemporâneas de sonatas para piano, de Beethoven.

6 comentários:

Anónimo disse...

Sou um "conservador" (!). Para Beethoven em primeiro lugar está o Kempf. Perdoem-me os Rubinstein, os Richter, os Brendel,...
Raul

Il Dissoluto Punito disse...

Acho que não fica mal dar uma oportunidade aos mais jovens, neste território tão repisado, não Raul?

Anónimo disse...

Concordo inteiramente.
Para ver que dou oportunidade aos jovens, comprei talvez há um ano as variações Diabelli pelo Piotr Anderszewski e adoro a interpretação. O problema está no facto de na música orquestral a variação interpretativa entre grandes intérpretes, embora tenha abordagens distintas, não é tão diferenciada como na música vocal,isto por causa das questões tímbricas. Daí que comprado o intérprete de eleição na música que mais gostamos (no meu caso Beethoven)nem sempre somos puxados para nos disponibilizamos a comprar mais um CD. Para ouvir outras interpretações ou compramos o Cd ou emprestam-nos, mas isto é um bocado difícil para mim.
Raul

César Viana disse...

Tal como o anterior comentador tendo a ser um pouco conservador, embora mais da linha Backhaus... Mas claro que o Kempf é imortal e sou sempre sensível à liberdade sublime e pessoalíssima do Richter. Entre os jovens propostos pelo 'L'Éxpress', confesso que gosto muito do turbilhão expressivo do Fazil Say; há um cd extraordinário em que ele toca a versão para 4 mãos da Sagração da Primavera que é, na minha opinião, um marco na edição discográfica. É um músico extraordinário, e não apenas como pianista e compositor, mas também como orquestrador. O Lugansky e o Lewis deixam-me um pouco indiferente, pelo menos neste repertório (Beethoven).

Il Dissoluto Punito disse...

César,

Vou seguir o seu conselho!

Il Dissoluto Punito disse...

Raul,

Também nas composições mão-líricas há espaço para liberdades interpretativas: Variações de Goldberg por Gould, Pinnock, Rousset ou Hantaï??? Tão diferentes...